skip to Main Content

Nesse tempo de pandemia em que ficamos isolados temos oportunidade de fazer a experiencia do silêncio, coisa não muito fácil.

Há uma canção do Pe. Zezinho que começa assim: “O silêncio está cantando uma canção de amor e paz…”.

Em nossos dias normais, quando não havia Coronavirus vivíamos correndo atrás de nossos compromissos diários. Funcionava mais ou menos assim: No lusco-fusco de cada manhã que renascia ao sair da noite, o vozerio do novo dia ia tomando conta de todos os cantos e no seu ritmo nós entravámos na dança pela sobrevivência correndo atrás da condução para chegar ao trabalho, para não atrasar na escola, e subindo e descendo escadas íamos meio ofegantes para os nossos compromissos. E assim na correria do sobe e desce, amenizada um pouco pelo fone de ouvido que repassavam os sons do MP3 com suas músicas preferidas, íamos levando a vida. O silêncio ia ficando longe, perdido no barulho do atropelo que se impunha. Ouvir o silêncio de amor e paz como queria o Pe. Zezinho não dava, sem chance!

Não é fácil para as pessoas silenciarem para ouvir aquela canção. Os ruídos tomam conta das ruas, das casas, em todos os lugares. Muita gritaria e pouco silêncio.

Na verdade, fazer silêncio é muito exigente. Ele costuma acordar os problemas adormecidos e aí os incômodos de tal situação geram muita tensão. Por isso “melhor nem pensar”, assim fazemos de conta que eles não existem e tudo bem. Quando se faz silêncio dá-se espaço para as vozes interiores, a mente se agita e o coração se inquieta e a paz pode ir logo para a dispersão! Nem todos estão dispostos a ouvir o que o silêncio interior tem a dizer.

No entanto é preciso silenciar! Sem ele a vida passa e não a percebemos. Se não ouvimos a voz do silêncio corremos riscos de não saber para que existimos e porque vivemos. A vida assim pode ficar sem paz e sem amor! Por isso silenciar é preciso! Como chegar lá, eis o desafio. Na verdade, parece que temos medo do silêncio. Quem o teme? Os amantes do barulho? Os sem tempo? Os desocupados? Talvez, todos nós temamos um pouco, por isso o evitamos. Contudo, é através dele que temos a chance de alcançar as profundezas de nosso ser e entender nossas perguntas ou ao menos perceber para onde que elas apontam ou querem nos levar. Ninguém pode experimentar suas profundezas se não fizer silêncio fora e dentro! É no silencio que se abre o espaço para as diferentes canções presentes no coro das vozes surdas do coração.

Aproveite esse tempo em que você tem mais tempo para fazer a experiencia do silêncio interior como quer a canção do Pe. Zezinho.  Por isso experimente, faça um pouco de silêncio e descubra qual a canção que ele canta! Muito silêncio para você e cante sua canção de amor e paz!

Pe. Deolino Pedro Baldissera, sds
Pároco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
X