skip to Main Content

Leia o texto: Jo. 20,19-22

Situação dos discípulos:

O Texto de João descreve a situação dos discípulos, eles estão em casa com as portas fechadas com medo que aconteça  com eles o que aconteceu com Jesus. Teme as autoridades judaicas e os algozes de Jesus. O medo toma conta deles, estão encurralados. A ausência de Jesus os deixou desprotegidos e sem horizontes. Há um grande vazio. A quem vão recorrer agora nessa situação inesperada? O que poderão fazer sem Jesus que os guie e encoraje?  A noite está caindo e com ela vem a escuridão, as trevas. Os fantasmas ficarão ainda maiores e o medo vai aumentar. Entreolham-se pensativos e nenhum tem uma palavra que levante seus ânimos. A morte está perto deles nas ameaças que as autoridades lhes fazem. A noite que cai sobre Jerusalém parece refletir a noite do coração dos discípulos. Não veem horizonte em sua frente. O medo predomina.

As trevas da crucificação ainda não se dissiparam. Formaram uma penumbra assustadora e os discípulos tentam se proteger se escondendo na casa. Antes a casa era lugar de estar com o mestre aprendendo seus ensinamentos, tomando refeições com Ele. Agora ela se transformou em esconderijo, ficam silenciosos para não serem achados. Suas vidas ficaram sem objetivos, fecharam-se sobre si mesmo numa tentativa de autoproteção. Até quando isso vai perdurar? Ninguém se arrisca sair, antes com Jesus iam para todas as vilas e povoados, compravam alimentos, discutiam ente si, perguntavam ao mestre sobre o significado dos seus ensinamentos. E agora tudo se reduziu a ficar fechado em casa com medo! O medo os paralisou. As portas fechadas não permitem contato com os de fora. Estão todos desnorteados sem saber o que fazer.

O Evangelista João chama atenção para um detalhe, era tardinha do primeiro dia da semana! Há um “tempo ainda” de luz antes que a noite chegue. É nesse meio tempo que algo surpreendente acontece.

Jesus se faz presente:

Jesus de põe no meio deles! Pronto tudo muda de figura! Jesus lhes traz a paz. O shalon de Deus. A plenitude dos dons celestes! Agora o humor deles muda, a tristeza,  o medo dão lugar a um alegria intensa.  Jesus se pôs no meio deles apesar das portas fechadas. Nenhuma barreira pode barrar a entrada de Jesus. Esse primeiro dia da semana será agora eterno. Não terá fim. O início de uma nova humanidade está começando é um novo tempo com o sopra da vida de Deus. Depois de lhes dar a paz, Jesus mostra suas mãos que foram perfuradas e seu lado, são sinais que testemunham que Ele é o que foi crucificado. Ele é aquele que a morte não reteve. Nas cicatrizes das marcas da cruz  está o testemunho de que Ele os amou até o fim.  Ao se apresentar ressuscitado marca definitivamente a vida dos discípulos, eles não serão mais os mesmos depois deste encontro! Apesar de eles terem-no abandonado  no seu caminho do calvário, Jesus não os censura pois bem  os conhece e sabe de suas fragilidades! Jesus os reveste de sua paz. Essas marcas do sofrimento de Jesus nós hoje as encontramos ainda nas mãos, nos pés, no coração e na vida de muitas pessoas. E nesse tempo de pandemia, de modo especial nos doentes pelo Coronavirus.

Jesus dá aos discípulos uma alegria que ninguém pode tirar deles! Ela é transformadora! É uma nova comunidade de seguidores que se forma com outra mentalidade e disposição! Não mais amedrontada, mas corajosa par enfrentar as autoridades da época de dizer a elas através das palavras de Pedro “Saibam que este Jesus que vós crucificastes ressuscitou e está vivo. Convém que obedeçamos antes a Deus do que aos homens”. Depois Jesus soprou sobre eles, este sopro é uma vida nova que nasce. Se lá no Genesis na discrição do Adão feito de barro foi soprado sobre ele e ele passou a ser um ser vivente, aqui eles recebem a vida do Espírito Santo que os torna seres novos. Jesus os envia em missão como o Pai o havia enviado. E a primeira missão é aquela de tirar as pessoas do poder do pecado. A quem perdoardes serão perdoados e a quem os retiverdes serão retidos. Os discípulos realizam a missão do próprio Jesus. O pecado é o grande obstáculo que impede o vínculo com Deus.  É o sopro do Espírito Santo que desce sobre eles que os torna capazes de serem verdadeiros discípulos missionários.

Jesus não estará mais com eles fisicamente. Estará com eles na força do Espírito Santo. É esse Espírito que será agora o guia para os discípulos e sob sua inspiração que eles falarão dos ensinamentos de jesus e serão suas testemunhas!

Mensagem para nós:

Isso que aconteceu com os discípulos acontece conosco hoje. Sem Jesus estamos condenados ao fracasso e o refugiar-se em nosso mundo a parte e ficar cheios de medo. Com Jesus somos capazes de enfrentar os desafios e superá-los. Sem fé, sem Jesus, nosso medo tornar-se maior diante do Coronavirus. Com fé e com Jesus somos capazes de enfrentar com esperança, porque Jesus continua no meio de nós como esteve com os discípulos. Nós precisamos do espírito do Ressuscitado.

ORAÇÃO DOS SETE DONS O ESPÍRITO SANTO.

Vinde, espírito de sabedoria, enchei nosso coração para que saibamos  amar e estimar os bens celestes acima de todos os bens da terra.

Vinde, espírito de entendimento! Iluminai a nossa mente, para que entenda e abrace todos os mistérios do vosso amor e possa alcançar o conhecimento de vossa vontade.

Vinde espírito de conselho! Assisti-nos ao longo da nossa vida, tornai-nos dóceis às inspirações, e guiai-nos sempre pelo caminho dos divinos mandamentos.

Vinde espírito de fortaleza, fortalecei, o nosso coração contra todas as perturbações e adversidades, daí à nossa alma a força necessária para resistir a todos os inimigos.

Vinde, espírito de ciência! Fazei-nos descobrir a verdade renunciando a todas  as vaidades da glória deste mundo, e busquemos os dons da vossa graça. E nesse tempo de pandemia, a capacidade de descobrir medicamentos eficazes contra a doença da peste.

Vinde, espírito de piedade! Vinde morar em nosso coração e inclinai-o para a verdadeira piedade e o santo Amor de Deus.

Vinde, Espírito do santo temor de Deus! Infundi em nossa carne vossa bênção, de modo que sempre tenhamos a Deus presente e evitemos o que possa nos distanciar de vossos caminhos!

Amém! Shalon. A paz esteja convosco!

Pe. Deolino Pedro Baldissera, sds
Pároco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
X